top of page
  • Foto do escritorRafael Perez

Precificação de Riscos — Metodologia XVA

Atualizado: 15 de out.

A análise de risco garante a saúde do seu negócio. No setor elétrico, em que os contratos do mercado livre são negociados bilateralmente sem a presença de um agente central, como uma clearing (câmara de compensação) que garante a efetivação das negociações, a análise de risco se torna ainda mais importante. Pois é necessário a mensuração de todos os riscos presentes na negociação dos contratos com outros agentes, além de ter que mensurar os riscos ligados a variação dos preços (riscos de mercado) e os riscos da operação todo (risco comercial, riscos físicos, etc.).

Neste material vamos falar sobre os riscos inerentes aos contratos bilaterais de compra e venda de energia no Mercado livre, e uma forma de não apenar mensurá-los, mas sim, precificá-los.


Riscos Variáveis

Um conceito importante para podermos entender o comportamento dos riscos presentes em um contrato de compra e venda de energia, é de que ele representa uma “foto” do risco que aquele contrato está impondo ao nosso negócio naquele momento específico do tempo, conforme as características únicas daquele contrato.

As características do contrato podem ser entendidas como quem é a nossa contraparte, volume do contrato, prazo, opcionalidades (modulação, flexibilidade, sazonalidade), tipo de energia, entre outros.

Quando fazemos a análise desse contrato, estamos dizendo que foi feita análise de risco do impacto de incluir esse contrato no nosso portfólio naquele momento específico de tempo, já que, no outro dia, as condições de mercado já serão diferentes. As características do contrato são fixas, mas os riscos inerentes a eles não são.

Os riscos que afetam um contrato de compra e venda de energia no mercado livre podem ser listados como risco de crédito, débito, mercado, liquidez e funding. Assim como outras variáveis que impactam o cálculo desses riscos, como a variação da taxa de juros, do custo do hedge e variáveis macroeconômicas.

Entender que estes riscos são variáveis, é entender que apesar de uma boa análise de risco, um cenário pode se tornar adverso devido a variações fora do nosso controle.

O risco de crédito associado a saúde financeira da nossa contra parte pode ser visto como um risco relativamente estático, já que sua análise só pode ser realizada com precisão a cada atualização de seu balanço, mas todos os outros riscos, sofrem variações quase que diárias, e sua mensuração e seu acompanhamento são necessários para a perenidade do seu negócio.

A metodologia

XVA é uma metodologia de precificação de risco internacional utilizada no setor financeiro por bancos, seguradoras e outras instituições financeiras.

Seu nome quer dizer X Valuation Adjustment, ou Ajuste de Valuation X, em português, fazendo alusão aos diferentes ajustes que devem ser feitos ao valuation de um contrato conforme o seu risco:

X Valuation Adjustment

Credit Valuation Adjustment

Debit Valuation Adjustment

Market Valuation Adjustment

Essa metodologia envolve a quantificação e o gerenciamento do portfólio de riscos dos contratos de uma empresa, desde o momento em que o contrato foi adquirido até o momento em que ele foi liquidado, bem como o mapeamento dos riscos de todas as ofertas existentes.

Seu objetivo é o de transformar os riscos que muitas vezes são traduzidos para ratings ou apenas aprovados ou reprovados para um denominador que todas as áreas da companhia podem entender, que é o R$/MWh, para cada um dos riscos inerentes ao contrato.



Hoje o trader tem apenas o incentivo para buscar o contrato com o melhor valor de mercado possível, enquanto a área de risco é responsável pelo veto da operação ou por estabelecer limites de acordo com seu risco.

Quando esse risco é quantificado para o valor comum de R$/MWh, a companhia inteira fica alinhada tanto em busca do melhor retorno financeiro quanto dos contratos mais saudáveis para o portfólio.

Além de cálculos e sistemas robustos, o ponto crucial para operacionalizar essa metodologia é a informação. Para precificar diferentes riscos, uma grande quantidade de informações públicas e privadas devem ser coletadas e tratadas, para o correto mapeamento do mercado e análise das contrapartes.

Essa maneira de analisar e precificar os riscos de um contrato, já praticada por algumas empresas ao redor do mundo, corresponde ao futuro da segurança de mercado que desejamos para o setor elétrico brasileiro, já que essa evolução beneficia todo o setor, desde o gerador até o consumidor.


Se quiser sabe mais sobre o que estamos desenvolvendo de XVA ou nossa plataforma Navarra Energy Risk, basta clicar no botão abaixo ou contactar um membro da nossa equipe! Tudo o que criamos aqui na Navarra é feito para e com o mercado.




50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page